EDITAL DE CONVOCAÇÃO - ASSEMBLEIA GERAL ONLINE*- 03/07 - 15H30MIN

 

Ficam os Docentes sindicalizados da Universidade Federal do Rio Grande - FURG e IFRS - Campus Rio Grande convocados para a Assembleia Geral a ser realizada no dia 03 de julho, sexta-feira, na plataforma google meet online*, às 15h30min em primeira convocação, e, 16h, em segunda convocação, com qualquer quorum.


PAUTA:

- Informes;
- Análise de Conjuntura;
- Estratégias de enfrentamento
às consequências da pandemia;
- Ensino remoto na FURG e no IFRS;
- Avaliação sobre a proposta de normativa apresentada pela reitoria para o retorno das atividades de ensino;
- Assuntos Gerais.

O não comparecimento de vossa senhoria implicará no acatamento de todas as decisões tomadas na Assembleia.


* A Assembleia só poderá ocorrer de forma online e remota depois da publicação do documento do ANDES-SN intitulado "NOTA POLÍTICA E TÉCNICA SOBRE A LEI Nº 14.010 DE 2020 QUE VERSA SOBRE AS ASSEMBLEIAS ONLINE", que pode ser lido no endereço -> https://tinyurl.com/agonlineandes



obs: Para inscrição e participação na assembleia online, os sindicalizados e sindicalizadas devem enviar um e-mail manifestando o interesse para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. até a próxima sexta-feira, às 15h.

O link do google meet será enviado para o e-mail de todos e todas que se inscreverem na assembleia geral.

 

Rio Grande, 1º de julho de 2020.
Cristiano Ruiz Engelke
Presidente

 

NOTA DA DIRETORIA DA APROFURG SOBRE AS IMPLICAÇÕES DA PANDEMIA DE COVID-19 NAS ATIVIDADES DOCENTES

 

Tendo em vista a gravidade e complexidade da atual conjuntura de pandemia no Brasil e no mundo, as instituições de ensino, ciência e tecnologia vêm sendo duramente afetadas em suas atividades cotidianas, principalmente aquelas de sala da aula.

A necessidade de isolamento e afastamento horizontal fez com que as atividades presenciais tivessem que ser canceladas, gerando assim preocupação para estudantes, docentes e gestores de ensino. 

Acreditamos que a singularidade do momento apresenta um cenário bastante complexo e incerto, nos demandando avaliar possibilidades alternativas de ensino e aprendizagem. Particularmente no momento presente, a utilização de ferramentas virtuais para a realização de atividades acadêmicas configura-se como uma alternativa apresentada pelo CNE e pelo MEC, pressionando as instituições de ensino público federal a adotarem tais alternativas de compensação pelas atividades presenciais suspensas. Ainda que essas ferramentas possam ser instrumentos adequados a certas realidades, não é possível tal troca sem o prejuízo significativo da qualidade da aprendizagem.

O ensino remoto não pode ser utilizado como arremedo de aula presencial, nem sequer podendo ser considerado como EAD (Ensino à Distância), pois não tem a preparação adequada de docentes e estudantes, nem a estrutura  necessária, além do fato de que  muitas disciplinas não se ajustam  a esse tipo de metodologia de ensino-aprendizagem, conforme Deliberação no 111/2019 do COEPEA desta Universidade. Ademais, torna-se importante ressaltar as inúmeras dificuldades enfrentadas por docentes e, principalmente, por estudantes, no que diz respeito ao acesso a computadores e internet de qualidade. Não considerar essas dificuldades ampliaria assim as diferenças sociais existentes no ambiente educacional. Não bastassem esses problemas, o atual momento gera uma grande preocupação e ansiedade, alterando completamente as vidas das pessoas, o que também faz com que muitos e muitas não tenham condições psicológicas de acompanharem as aulas e realizarem as atividades e isso deve ser compreendido por todos e todas. 

Conforme o art. 2º do Plano de Contingência da FURG – Portaria 0533/2020 e que, mesmo com atualizações segue vigente:

“Ficam suspensas as aulas, eventos e atividades acadêmicas extracurriculares para os Cursos de Graduação e de Pós-Graduação na modalidade presencial por um período mínimo de 60 dias contados a partir de 16/03/2020.

  • 1o A utilização de ambiente virtual de aprendizagem para atividades acadêmicas durante o período de suspensão das aulas tem como finalidade oferecer aos/às estudantes a possibilidade de organizarem uma rotina de estudos no período sem aulas, e tais atividades não serão aptas a recompor conteúdo, frequência e/ou reposição de dias letivos, devendo ser ofertadas em caráter não obrigatório (ou facultativo).”

Dessa forma, é de grande importância a compreensão de que a utilização de ambiente virtual de aprendizagem deve servir como organização de rotina de estudos de forma facultativa, e não para recomposição de conteúdo, frequência e reposição de dia letivo. Acima de tudo, neste momento, deve-se primar pelas pelo cuidado com as vidas, e com a qualidade das vidas de toda a comunidade.

Cabe ressaltar que o IFRS já tem decisão que não permite a utilização de EAD para reposição do calendário. Esperamos que na FURG também possamos ter essa garantia.

Dessa forma defendemos:

  1. A não utilização de EAD como substituição de atividades presenciais obrigatórias no período de suspensão do calendário;
  2. A manutenção da suspensão do calendário até uma situação sanitária favorável, mas descartando a possibilidade de cancelamento do calendário, garantindo a reposição das aulas.

Por fim, nos colocamos à disposição de todos e todas para buscarmos alternativas frente à grave e inusitada situação em que nos encontramos. Os desafios são muitos, mas de forma transparente e valorizando o interesse coletivo conseguiremos sair dessa situação com um mínimo de danos possíveis. 

 

Diretoria da APROFURG 

30 de abril de 2020

 

 

Para acessar a nota em PDF clique aqui

 

Na tarde/noite desta sexta-feira, dia 05 de junho, a APROFURG - Seção Sindical do ANDES-SN realizou uma live para o lançamento do livro digital (eBook): "Impactos dos Projetos de Mineração: O que sabemos? O que queremos? Para onde vamos?"

 

Participaram da conversa autores, autoras, colaboradores e colaboradoras da publicação. A transmissão foi realizada simultaneamente pelo Google Meet e Youtube.

Quem não conseguiu acompanhar não tem problema, é só clicar na imagem abaixo e rever como foi o bate-papo.

 

 

Já para baixar e ler o livro é só clicar na CAPA ou aqui!

 

 

 

Boa leitura!

 

 

 

 

A Frente Brasil Popular, formada por diversas entidades, sindicatos, movimentos populares, coletivos, partidos políticos, centrais sindicais, representações estudantis, entre outros, vem a público manifestar a preocupação com a situação grave da pandemia de COVID-19 em nosso país e, assim, seu apoio às medidas que estão sendo implementadas pela Prefeitura Municipal do Rio Grande no enfrentamento ao novo Coronavírus. 

Entendemos que o momento em que vivemos é de extrema gravidade e preservar a vida deve ser prioridade. Por isso, defendemos a continuidade do isolamento social como medida protetiva de preservar vidas. E para que riograndinos e riograndinas possam manter suas necessidades básicas neste período é imprescindível que o Governo Federal dê celeridade aos auxílios financeiros já aprovados, R$ 600,00 ou R$ 1.200,00 para pessoas físicas e, os empréstimos às pequenas e médias empresas, para que sejam mantidos os pagamentos de até dois salários por funcionário, assim minimizando os prejuízos e impactos econômicos na região. 

Os dados mostram que Rio Grande, até aqui, é exemplo no combate a COVID-19, comprovando que o isolamento horizontal (em que só serviços essenciais são liberados) é o mais correto. Mesmo sendo uma cidade “aberta" do litoral, portuária e com duas universidades, possuímos um número baixo de casos confirmados, enquanto outras cidades que flexibilizaram o isolamento, adotando o vertical (em que apenas os grupos de risco ficam em quarentena) os números só aumentam a cada dia. 

Sabemos que nosso inverno é rigoroso e que muitas pessoas ficam mais vulneráveis nesse período. Com a abertura do comércio, o vírus poderá se proliferar mais rapidamente, aumentando a contaminação, aumentando a demanda hospitalar, que já estava no limite antes da pandemia. O aumento dos casos de contaminação por coronavírus causaria um problema gravíssimo para todo o sistema de saúde. É um problema coletivo e a solução passa pela visão da coletividade e da vida! 

Considerando que muitas pessoas não apresentam sintomas, podendo mesmo assim transmitir o vírus e que a testagem não será feita para todos, acreditamos que só o isolamento (com saídas para o extremamente necessário, fazendo o uso de máscara) poderá controlar o alto contágio na população. 

Importante ressaltar que nosso município tem trabalhado na ampliação do sistema saúde e é referência, até o momento, no baixo número de contaminados, muito em função da maioria da população estar seguindo as recomendações das autoridades e especialistas. Contudo, é fundamental que os governos federal e estadual também cumpram com suas obrigações e repassem na totalidade os recursos para o combate a COVID-19. 

Sendo assim, somente quando tivermos as condições adequadas e seguras é que poderemos pensar na retomada das atividades econômicas. Reconhecemos, também, todas as consequências na vida das pessoas que mais precisam e já sofrem pelo desemprego, condições precárias de trabalho e a informalidade, mas acreditamos que o poder público não pode ceder às pressões de quem apoia o lucro em detrimento da vida e que não percebe que é na solidariedade e na construção coletiva que poderemos sair dessa grave situação com um mínimo de vítimas possíveis. Por respeito a todas e todos que não podem ficar em casa, por respeito a quem nesse momento trabalha para garantir o melhor para a sociedade. E por todas as razões citadas, esta Frente é radicalmente contrária à reabertura do comércio local, neste momento. 

#SePuderFiqueEmCasa 

Rio Grande, 27 de abril de 2020. 

 

Assinam esse manifesto:
CUT REGIONAL LITORAL SUL
CTB – CENTRAL DOS TRABALHADORES DO BRASIL
CNTE – CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO
CURG – CENTRAL ÚNICA DAS ASSOCIAÇÕES DE BAIRRO DE RIO GRANDE
APROFURG
APTAFURG
SINDIAGUA
SINDICATO DOS BANCÁRIOS
SINTERG – SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO DO RIO GRANDE
6º NÚCLEO DO CPERS/SINDICATO
SINPRO/RG
SENERGISUL – SINDICATO DOS ELETRICITÁRIOS DO RS
SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE RIO GRANDE
SINDICATO DOS METALÚRGICOS DE RIO GRANDE E SJN
SINDICATO DOS PESCADORES DE RIO GRANDE E REGIÃO
SINDIRECEITA - ANALISTAS TRIBUTÁRIOS DE RG
SINDISERF - SINDICATO DOS SERVIDORES FEDERAIS/RS
SINDICATOS DOS TAXISTAS E TRANSPORTADORES DE PASSAGEIROS E BENS DE RIO GRANDE
SINDICATO DOS TRAB. INDÚSTRIAS COOP. AGRO-INDÚSTRIAS DA ALIMENTAÇÃO SINDISPREV – SINDICATO DOS TRABALHADORES FEDERAIS DA SAÚDE, TRABALHO E PREVIDÊNCIA
SINDICATO DOS TRABALHADORES PORTUÁRIOS DO RIO GRANDE
SINDICATO DOS TRABALHADORES EM TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE RIO GRANDE
SINDICATO DOS ARRUMADORES E TRABALHADORES AVULSOS EM CAPATAZIA DO PORTO DE RIO GRANDE
PCB
PCDOB
PT
COMUNA - PSOL
ADEFERS – ASSOCIAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS EM DEFESA DAS ESTATAIS E DO PATRIMÔNIO PÚBLICO DO RS
ALGBT-RG
ANEPS – ARTICULAÇÃO NACIONAL DE MOVIMENTOS E PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE
COLETIVO KIZOMBA
COLETIVO POVARÉU SUL
COLETIVO NÓS DA VILA
COMDIM – CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA MULHER
CME – CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
CMJ - CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE
CMS - CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE
CPOTERG - CONSELHO MUNICIPAL DO POVO DE TERREIRO
COMSEA - CONSELHO MUNICIPAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL
CMAS - CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
COREMSDRAB - CONGREGAÇÃO REGIONAL DA METADE SUL EM DEFESA DAS RELIGIÕES AFRO BRASILEIRAS
DCE-FURG
FONSAMPOTMA - FÓRUM NACIONAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DOS POVOS TRADICIONAIS DE MATRIZ AFRICANA
GRÊMIO ESTUDANTIL DA EEEM DR. AUGUSTO DUPRAT
GRÊMIO ESTUDANTIL DO IEE JUVENAL MILLER
ICFA - INSTITUTO CULTURAL FILHOS DE ARUANDA
LEVANTE POPULAR DA JUVENTUDE
MNLM - MOVIMENTO NACIONAL DE LUTA PELA MORADIA
MOPS/RG - MOVIMENTO POPULAR DE SAÚDE
RENAFRO/RG - REDE NACIONAL DE RELIGIÕES AFROBRASILEIRAS E SAÚDE
UJS-UNIÃO JUVENTUDE SOCIALISTA

Notícias Regionais

NOTÍCIAS DO SINDICATO NACIONAL DOS DOCENTES DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR