EDITAL DE CONVOCAÇÃO - ASSEMBLEIA GERAL ONLINE - 14/03 - 13h30min

 


Ficam os Docentes sindicalizados da Universidade Federal do Rio Grande - FURG e IFRS - Campus Rio Grande convocados para a Assembleia Geral a ser realizada no dia 14 de março, segunda-feira, na plataforma google meet online, às 13h30min, em primeira chamada, e 14h, em segunda chamada, com qualquer quorum.


PAUTA:

- Informes; 

- Paralisação do dia 16 de março - Dia Nacional de Mobilização, paralisações e manifestações em todo Brasil;

- Indicativo de Greve - Servidores Públicos Federais;

- Assuntos Gerais.


obs: Para inscrição e participação na assembleia online, os sindicalizados e sindicalizadas devem enviar um e-mail manifestando o interesse para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. até a próxima segunda-feira, dia 14 de março, às 13h.

O link do google meet será enviado para o e-mail de todos e todas que se inscreverem na assembleia geral.

 

Rio Grande, 09 de março de 2022.
Marcia Borges Umpierre
Presidenta

 

 

A deliberação aprovada em assembleia geral do Sindicato visava a suspensão das atividades acadêmicas durante o mês de janeiro de 2023, com a priorização das férias dos(as) docentes



Na manhã desta sexta-feira, dia 18 de fevereiro, o Conselho de Ensino, Pesquisa, Extensão e Administração da FURG (COEPEA) realizou uma reunião ordinária para tratar de diversos assuntos de interesse da universidade. Um dos pontos de pauta tratava da organização do calendário acadêmico de 2022. A Aprofurg - Seção Sindical do ANDES-SN apresentou uma proposta alternativa, aprovada em assembleia geral da categoria, através da representante da diretoria da Aprofurg e conselheira do COEPEA, Magda Vicente. A ideia era priorizar o primeiro mês de 2023 para as férias dos(as) docentes.

 

“No dia 31 de janeiro fizemos uma assembleia e deliberamos esta proposta que tinha a intenção de preservar os direitos trabalhistas da categoria docente. Nós queríamos que os professores e as professoras pudessem gozar das suas férias por um período integral no mês de janeiro. Depois de 2 anos de pandemia, as pessoas estão cansadas e esgotadas, e muitos(as) docentes não conseguiram tirar os 30 dias corridos de férias, e isso prejudica o descanso dos profissionais. Além disso, a Aprofurg vem recebendo relatos de esgotamento dos professores e das professoras da FURG”, explicou a diretora da Aprofurg, Magda Vicente.

 

Durante a reunião de hoje no COEPEA, os(as) integrantes do Conselho debateram e discutiram os prós e os contras das duas propostas - (PROGRAD e APROFURG), e após as inúmeras explanações foi deliberado a aprovação do calendário acadêmico proposto pela PROGRAD. “Tivemos seis votos pela nossa proposta, e isso é muito importante para deixarmos claro a questão do nosso posicionamento enquanto Aprofurg, uma entidade de classe que representa os docentes e as docentes da FURG e do IFRS - Campus Rio Grande”, reiterou a presidenta da APROFURG, Marcia Umpierre.

 

Marcia, que também participou da reunião, destacou a importância da participação dos(as) docentes no órgão deliberativo da FURG. “O que nós podemos avaliar é a possibilidade da professora Magda ser conselheira do COEPEA e assim ter a voz docente dentro do Conselho. Se nós não tivéssemos uma conselheira, não teríamos a possibilidade de apresentar a nossa proposta”, disse.

 

ARGUMENTAÇÃO DA APROFURG

 

Mais de 10 argumentos foram apresentados para os conselheiros e as conselheiras do COEPEA, defendendo o ponto de vista da Aprofurg na nova proposta de calendário. O documento apresentado explicava que estamos passando  por um período pandêmico que foi extremamente desgastante para toda a comunidade universitária, por diversos fatores, mas em especial destacamos a questão do desenvolvimento das atividades de ensino remoto que exigiram de todo(a)s o(a)s docentes um esforço intelectual e de recursos físicos e financeiros para viabilizar a sua realização.

 

Além disso, a APROFURG também lembrou que não podemos considerar que as duas semanas entre o final do período letivo e os exames, assim como o período de exames, seja considerado um período para tirar férias, uma vez que esses períodos são usados para correções de trabalhos, elaboração e correção de provas e exames, conforme instituído e justificado pela própria Universidade. Assim, entendemos que esse período não pode ser caracterizado como período para gozo de férias.

 

Outro ponto levantado foi que temos que considerar ainda, que janeiro é o mês mais procurado pelos veranistas tanto na Praia do Cassino, bem como em São Lourenço do Sul, levando os (as) estudantes a terem que arcar com aluguéis mais caros ou com a dificuldade de encontrar imóveis disponíveis para locação. Outro fator que incide na situação dos estudantes é que janeiro é um período em que os estudantes trabalham para poder tirar uma renda extra e manter-se na universidade durante o ano. Compreendemos que no mês de fevereiro essa condição se mantém em certa medida, porém é certo que a redução de um mês ajuda sobremaneira nos gastos com moradia e alimentação, em um período de alta temporada.

 

Um outro fator dificultador para a realização das aulas no mês de janeiro são as férias escolares dos filho(a)s do(a)s docentes e aluno(a)s, pois muitos não têm com quem deixar as crianças para realizar as atividades acadêmicas, tendo que recorrer a terceiros e, na grande maioria das vezes, tendo de arcar com os custos financeiros.

 

COMO FICOU O CALENDÁRIO 2022-2023

 

O primeiro semestre do ano letivo de 2022 será no dia 25 de abril e o término em 20 de agosto. Já o segundo semestre de 2022 iniciará em 21 de setembro, com término em 31 de janeiro de 2023. Já o início do primeiro semestre de 2023 será no dia 20 de março do ano que vem.

 

 

 

Na oportunidade também foi discutido a curricularização da extensão



Na manhã de ontem, dia 7 de fevereiro, a Aprofurg - Seção Sindical do ANDES-SN realizou a continuação da última assembleia geral, que ocorreu no dia 31 de janeiro. Os professores e as professoras se debruçaram sobre dois pontos de pauta: a “Curricularização da Extensão” e “Construção de uma greve geral dos (as) Servidores (as) Públicos (as) Federais - SPF”, que foi aprovada por maioria dos(as) sindicalizados(as) presentes na reunião on-line.

 

Pontualmente às 9h30min, a presidenta da Aprofurg, Marcia Umpierre deu início às conversas sobre a curricularização da extensão, uma proposta de minuta enviada pela pró-reitoria de extensão da FURG. Diversas intervenções de professores e professoras foram realizadas sobre o tema, além da leitura dos documentos disponibilizados pela universidade. “Nós da Aprofurg defendemos a extensão universitária, a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, e sabemos que este tema é muito importante e que esses processos sejam compreendidos por toda a comunidade”, explicou Marcia.  Ela disse, ainda, que o sindicato defende uma extensão popular, aquela que resgata um pouco dos processos de compreensão da comunidade e das políticas públicas.

 

Depois dos debates, foi colocado em regime de votação a confecção de um documento com as reivindicações e questionamentos da categoria acerca da curricularização da extensão. Por unanimidade, os professores e as professoras aprovaram o encaminhamento junto à gestão da FURG. “A nossa preocupação é que essa extensão atenda à política de extensão da universidade. Por exemplo, que exista uma equipe adequada para atender as demandas, que o orçamento seja condizente para atender as propostas das atividades de extensão. Além disso, que a extensão atenda de fato a comunidade, visando atuar como universidade socialmente responsável, para o seu entorno, para as comunidades tradicionais, e que olhe efetivamente para uma mudança na qualidade de vida das pessoas que vivem no entorno da universidade”, completou Marcia.

 

A FURG vai realizar um “Seminário institucional para o debate da inserção curricular da extensão nos cursos de graduação da FURG”, no próximo dia 14 de fevereiro, entre 14h e 19h. A atividade terá transmissão ao vivo pelo endereço  https://www.youtube.com/FURGoficial

 

GREVE

Já o segundo ponto de pauta da assembleia geral foi a construção da Greve dos Servidores Públicos Federais - SPF. O ANDES-SN solicitou para que todos os sindicatos realizassem assembleia geral de base para avaliar uma greve nacional, a partir do dia 9 de março. 

 

A pauta unificada das categorias que integram o Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) prevê um reajuste de 19,99%. O índice é referente às perdas acumuladas desde o início do governo Bolsonaro, de janeiro de 2019 a dezembro de 2021, conforme o Índice de Preços ao Consumidor Ampliado (IPCA/IBGE). No entanto, sem reajuste desde 2017 e com perdas salariais desde 2011, as servidoras e os servidores acumulam uma defasagem nos salários de 49,28%. Além da recomposição imediata de 19,99%, a pauta apresentada pelo Fonasefe também cobra a derrubada da PEC 32 e a revogação da EC 95. 

 

Durante o debate, várias reflexões foram compartilhadas pela diretoria da Aprofurg - Seção Sindical do ANDES-SN e pelos (as) docentes da base do sindicato. Vale ressaltar que este movimento de construção de greve está sendo puxado por todas as categorias de servidores públicos federais do país, e não somente pelos servidores da educação. Após este momento, foi colocado em regime de votação pela construção ou não da greve dos SPF. Por maioria, a base escolheu pela construção da greve. Agora, o resultado é enviado para o ANDES-SN que vai reunir todas as informações dos sindicatos do país e, a partir disso, poder deliberar sobre a construção de greve unificada dos(as) servidores(as) públicos(as) federais. 

 

A decisão, em assembleia, pela construção da greve não significa a sua deflagração imediata, mas sim a sinalização ao governo que existe essa possibilidade ou a abertura de negociação para evitá-la, a partir das reivindicações que serão apresentadas. A deflagração da greve, agendada pelas entidades envolvidas para iniciar no dia 9 de março, deverá ser aprovada em uma nova assembleia com a categoria. A greve é uma ferramenta de luta e de construção coletiva”, explicou o vice-presidente da Aprofurg, Gustavo Borba de Miranda.

 

ATENÇÃO APOSENTADOS E PENSIONISTAS PORTADORES DE DOENÇA GRAVE

 

A FURG vem notificando servidores aposentados e pensionistas portadores de doença grave a respeito de uma suposta necessidade de devolução de valores a título de contribuição previdenciária.

 

Os valores seriam referentes aos meses de novembro e dezembro de 2019.

 

A título de exemplo, a notificação da PROGEP traz inclusive o cálculo dos valores que entende devido, bem como a forma de ressarcimento via contracheque:

 



No entanto, a assessoria jurídica entende que o tema é passível de debate judicial. Isto porque a alteração da base de cálculo de incidência das alíquotas previdenciárias trazidas pela Reforma da Previdência (novembro de 2019) também deve observar os prazos de carência de que trata a legislação tributária.

 

Maiores informações podem ser buscadas nos atendimentos feitos pela Assessoria Jurídica da sua entidade.

 

Lindenmeyer Advocacia & Associados 




 

 

A base também deliberou uma nova proposta de calendário acadêmico 

 

Na manhã de ontem, dia 31 de janeiro, a Aprofurg - Seção Sindical do ANDES-SN realizou mais uma assembleia da categoria docente em formato online. Com uma pauta extensa, incluindo a eleição de delegados(as) e observadores(as) para o 40º Congresso do ANDES-SN, a discussão de uma nova proposta de calendário acadêmico da FURG, além dos tradicionais informes, os professores e as professoras presentes tiveram uma manhã repleta de diálogo e decisões que impactam diretamente os(as) docentes.

 

O ANDES-SN convocou o 40º CONGRESSO, a ser realizado de 27 de março a 1º de abril de 2022 (domingo a sexta-feira), na cidade Porto Alegre/RS, sob a organização da Seção Sindical do ANDES-SN na UFRGS, com o tema central: “A vida acima dos lucros: ANDES-SN 40 anos de luta!”. Este será o primeiro evento presencial do Sindicato desde março de 2020, quando iniciou a pandemia de covid-19.

 

A primeira pauta da assembleia geral foi a eleição da delegação da Aprofurg para o evento na capital gaúcha. Diversos professores e professoras, da diretoria e da base, se inscreveram para participar do Congresso, e a representatividade será composta por 8 professores(as) delegados(as) e 3 observadores(as). Os(as) professores(as) Anne Pinheiro Leal, Desirée Fripp, Gustavo Borba de Miranda, Marcia Umpierre, Magda Vicente, Marcelo Cafrune, Sabatha Dias e Tatiana Walter serão os(as) delegados(as) e portanto terão direito a voto nas mais diversas plenárias que compõe o maior evento do Sindicato Nacional. Já as professoras Cristiane Costa, Rita Patta Rache e Fabiane Pianowski serão as observadoras do 40º Congresso.

 

“A eleição da delegação que vai representar a Aprofurg no Congresso do Andes-SN é simbólica, por ser o primeiro Congresso presencial ainda durante a pandemia, com pautas importantes que tratam das temáticas dos serviços públicos federais, como a PEC 32, além da educação pública, orçamento das universidades, precarização do trabalho dos docentes, entre outras pautas importantes para a construção da nossa luta em 2022”, reiterou a presidenta da Aprofurg, Marcia Umpierre.



CALENDÁRIO ACADÊMICO

 

Já o segundo ponto de pauta foi sobre o calendário acadêmico da Furg para os anos de 2022 e 2023. Os professores e as professoras tiveram ampla discussão sobre a proposta da reitoria para os próximos dois anos. Os(as) docentes de diversos institutos da FURG e que compõem a base da Aprofurg - Seção Sindical do ANDES-SN relataram as suas opiniões, vivências e sugestões sobre o que poderia melhorar na proposta enviada pela Universidade.

 

A primeira votação teve como objetivo escolher entre a aprovação do calendário acadêmico enviado pela Furg (sem alterações) e uma nova proposta de calendário a ser apresentada pela Aprofurg. Por maioria, a base encaminhou por apresentar uma nova proposta de calendário acadêmico. Já a segunda discussão girou em torno de duas propostas - apresentadas por duas professoras diferentes -  de alterações em datas específicas do calendário de 2022/2023. Mais uma vez, de forma democrática, foi colocado em votação e uma das propostas também foi escolhida pela maioria dos(as) docentes. Agora, essa proposta, aprovada pela base, será apresentada para o Conselho de Ensino, Pesquisa, Extensão e Administração (COEPEA) da FURG.

 

“Conseguimos fazer uma discussão importante sobre o calendário acadêmico da FURG, é que nós enquanto categoria já vinhamos discutindo no ano anterior, sobre a necessidade de pensar em pausas de descanso, respeitar o nosso direito de férias, e que elas sirvam para realmente decansar. Mais uma vez é nosso papel representar a categoria, chamando a assembleia e levar para as instâncias deliberativas, a proposição do nosso sindicato em relação ao calendário acadêmico, que atenda as demandas dos docentes e das docentes, e é isso que vamos fazer nos próximos dias”, explicou Marcia.

 

PRORROGAÇÃO DA ASSEMBLEIA 

 

Após mais de três horas de discussão, ainda restavam três pontos de pauta para serem discutidos: a “Curricularização da Extensão”, a “Greve dos Servidores Públicos Federais - SPF”, além dos Assuntos Gerais. Devido ao adiantado da hora e a profundidade das discussões dos temas ainda não abordados, os(as) docentes encaminharam que a assembleia ficará em aberto e marcaram uma nova sessão na próxima segunda-feira, dia 7 de fevereiro, a partir das 9h30min com chamada única.

 

A presidenta da Aprofurg reitera o convite para a continuação da assembleia geral. “A curricularização da Extensão é um tema em vigência muito forte para os cursos de graduação da FURG, e também a greve dos servidores públicos federais, que é um ponto que vem sendo discutido amplamente no nosso sindicato em conjunto com tantos outros sindicatos de servidores públicos federais”, concluiu.

 

Notícias Regionais

NOTÍCIAS DO SINDICATO NACIONAL DOS DOCENTES DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR