Apesar dos tempos difíceis em que vivemos, a APROFURG - Seção Sindical ANDES/SN convida, a ti professor sindicalizado e professora sindicalizada, para se energizar com a gente nesse encerramento de ano, para que assim possamos juntos resistir em 2020. Te esperamos no dia 18 de dezembro (quarta-feira), no espaço da APROFURG pós 18h.
Cada professor e professora tem direito de levar um acompanhante.

Pedimos, por gentileza a confirmação até o próximo dia 17 de dezembro, através e-mail do Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., com o nome do(a) sindicalizado(a), e acompanhante.

Observação: No dia da festa, serão distribuídas as agendas e calendários de 2020. Caso o professor ou a professora não possam comparecer ao evento, ambos estarão disponíveis para retirada na sede.

Vem te energizar com a gente, que o resto é por nossa conta! ?

 

Boa tarde!

O nosso tradicional jornal pó de giz já está disponível de forma on-line.

 

Nesta edição temos uma matéria sobre a intervenção sobre o período da ditadura.

Além disso uma cobertura de um evento sobre o Future-se realizado em parceria entre Aprofurg e APTAFURG.

 

Também algumas fotografias da festa do dia dos professores e das professoras da APROFURG, realizada no dia 12 de outubro.

 

O artigo jurídico alerta sobre o abono de permanência e a lista de professores (as) que possuem diferenças de gratificação natalina e no adicional de férias. 

 

Para ler basta clicar aqui ou na capa do jornal.

 

EDITAL DE CONVOCAÇÃO - ASSEMBLEIA GERAL - 12/12 - TODO O DIA (A PARTIR DAS 9H)

 

Ficam os Docentes sindicalizados da Universidade Federal do Rio Grande - FURG e IFRS - Campus Rio Grande convocados para a Assembleia Geral a ser realizada no dia 12 de dezembro, quinta-feira, na sede da APROFURG, às 9h, em primeira convocação, e, 9h30min, em segunda convocação, com qualquer quorum.

 

PAUTA:

- Discussão dos Trs* para o 39º Congresso do ANDES-SN.

 

*Lembrando os sindicalizados e as sindicalizadas que os famosos TRs (Texto de Resolução) são de extrema importância para as políticas e o planejamento do ANDES-SN, portanto a presença dos professores e professoras na assembleia se torna essencial neste momento.

obs: clique aqui para ler o caderno de textos.


O não comparecimento de vossa senhoria implicará no acatamento de todas as decisões tomadas na Assembleia.

 


Rio Grande, 03 de dezembro de 2019.
Cristiano Ruiz Engelke
Presidente

 

EDITAL DE CONVOCAÇÃO - ASSEMBLEIA GERAL - 18/12 - 13H30MIN

Ficam os Docentes sindicalizados da Universidade Federal do Rio Grande - FURG e IFRS - Campus Rio Grande convocados para a Assembleia Geral a ser realizada no dia 18 de dezembro, quarta-feira, na sede da APROFURG, às 13h30MIN, em primeira convocação, e, 14H, em segunda convocação, com qualquer quorum.

PAUTA:

- Escolha* dos (as) delegados (as) para o 39º Congresso do ANDES-SN em São Paulo, entre 4 e 8 de fevereiro de 2020.

* O (A) sindicalizado (a) que tiver interesse em participar e não puder comparecer à assembleia, por favor enviar um e-mail com o seu nome e a justificativa para o endereço Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Segue aqui uma planilha, de acordo com dados informados à tesouraria do ANDES-SN, contendo o número máximo de delegado(a)s ao 39º CONGRESSO que cabe a cada seção sindical.

Vale ressaltar que os (as) professores(as) escolhidos (as) na assembleia representarão as deliberações da APROFURG, levando a posição da base para a discussão no evento mais importante do Sindicato Nacional.


Rio Grande, 03 de dezembro de 2019.
Cristiano Ruiz Engelke
Presidente

 

Começou ontem, dia 29 de novembro, na APROFURG - Seção Sindical do ANDES-SN e se estende até o próximo domingo, dia 1º de dezembro, o Seminário de História e Memória do movimento docente: lutas por autonomia e liberdade, ontem e hoje”. A ideia do encontro é resgatar a história de luta dos professores e das professoras e do Sindicato. O evento também vai realizar a primeira etapa do Curso Nacional de Formação de 2019, com o tema "Reorganização da classe trabalhadora e os desafios para o movimento docente”. 

 

No final da tarde da última sexta-feira (29), os professores e professoras de diversas partes do país e sindicalizados(as) do ANDES-SN começaram a ocupar as cadeiras do Espaço Aprofurg, localizado no campus carreiros da Universidade Federal do Rio Grande (RS). Estados como o Rio de janeiro, Minas Gerais, Ceará, Paraíba, Bahia e a capital Brasília são algumas das localizações representadas pelos docentes que viajaram até o sul do Rio Grande do Sul para participar do Seminário, que foi organizado pelo Grupo de Trabalho de História do Movimento Docente (GTHMD) do ANDES-SN.

 

O presidente da APROFURG, Cristiano Engelke explicou o sentimento de sediar um evento desta magnitude na cidade do Rio Grande. “Uma honra para nós da APROFURG receber um seminário do ANDES-SN com esta importância e que trate da história de lutas do movimento docente ao longo dos quase 40 anos de história do ANDES-SN e dos quase 40 anos de história da APROFURG”, explicou Engelke.

 

Originalmente previsto para começar às 19h30min, a organização decidiu adiantar em uma hora o início do evento para valorizar e dar mais tempo de fala aos convidados que vieram dos quatro cantos do país. A mesa de abertura então, por volta das 18h30min foi formada pelo presidente da APROFURG, Cristiano Engelke, pelo representante da APTAFURG, Celso Carvalho e pelo integrante da diretoria do ANDES-SN, Guinter Leipnitz.

 

“Um evento nacional aqui na APROFURG é muito importante para todos nós. Sobretudo o tema deste evento que é sobre a história que vai nos ensinar muito. Hoje nós temos um problema, uma ruptura com a história, temos que estar correndo atrás e apresentando a história dos movimentos nas universidades para um conjunto de trabalhadores e trabalhadoras que chegam meio que fora dessa história e sem entender um pouco do movimento sindical”, explicou o representante da APTAFURG, Celso Carvalho.

 

Já o professor e representante da diretoria do Sindicato Nacional, Guinter Leipnitz, lembrou que o seminário é uma deliberação do 38º Congresso do ANDES-SN, que foi realizado em Belém, no início de 2019. “O resgate da história do sindicato e de toda a luta que foi construída ao longo desses quase 40 anos, que tiveram uma série de momentos históricos bastantes específicos, a pauta pela redemocratização, a pauta pela defesa da educação pública e pelo projeto de educação na constituição de 1988”, salientou Leipnitz, ao lembrar da motivação que levou o GTHMD a realizar o evento.



RODA DE CONVERSA 

 

A primeira roda de conversa prevista na programação tratava sobre o movimento docente na ditadura empresarial-militar no Brasil 1964-1985. Participaram da discussão Roberto Leher (UFRJ), Ana Maria Ramos Estevão  (Unifesp) e Cléverton Oliveira (membro da comissão da verdade da APROFURG). 

Ana Maria Ramos Estevão, que atua no campus de Santos (Fapesp) começou a sua fala lembrando do início da ditadura militar. “Eu não sou historiadora, o meu relato do período da ditadura será feito sob a ótica de uma militante. Me lembro que no início de abril de 1964, logo depois do início do golpe, houve um incêndio e a depredação da sede da União Nacional dos Estudantes no Rio de Janeiro, e foi por aí que começou a repressão aos movimentos ligados ao ensino. Logo após também foi invadida a Universidade de Brasília, que depois se tornou um dos ícones da resistência”, explicou a docente, que seguiu a sua explicação com toda a linha do tempo do período da ditadura, sempre pela ótica de militante.

O segundo a pegar o microfone foi o professor Roberto Leher. O docente da UFRJ lembrou uma particularidade que não deve ser comemorada pelos brasileiros. “A interpelação da história é extremamente importante para nós pensarmos a realidade brasileira hoje. O Brasil, na américa latina, se particulariza por ser um país que não trabalhou de forma sistemática a memória e o que foi a ditadura no nosso país. Não há imagens do que aconteceu”, disse Leher, salientando, ainda, que o país está vivendo um contexto em que uma situação muito perigosa ronda a democracia brasileira. 

Para finalizar os debates da noite do primeiro dia do evento, o historiador e membro da comissão da verdade da APROFURG, Cléverton Oliveira deu um panorama dos elementos locais da história da ditadura e da relação do período com a FURG. Cléverton também contou um pouco da história da cidade do Rio Grande, através de fotografias e explicações, para contextualizar os professores e as professoras que não conheciam o município. 




ATIVIDADE CULTURAL

 

Finalizando as atividades do primeiro dia do “Seminário de História e Memória do movimento docente: lutas por autonomia e liberdade, ontem e hoje”, o músico Leonardo Bulcão (Lunar) fez um pocket show apresentando as suas músicas para participantes do evento. Um momento de descontração depois de muito debate sério no Espaço Aprofurg.



Notícias Regionais

NOTÍCIAS DO SINDICATO NACIONAL DOS DOCENTES DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR